5 arquétipos de personagens comuns em desenhos animados

Quer estejamos olhando para Shakespeare ou Bob Esponja, existem arquétipos de personagens comuns que aparecem em histórias ao longo do tempo e das culturas. Os arquétipos são caracterizados ou classificados pelo papel que desempenham ou seu propósito em uma história. Os arquétipos clássicos de uma boa história incluem o protagonista e o antagonista, o mentor, o ajudante e o interesse amoroso. Vamos dar uma olhada nesses cinco arquétipos e como os estúdios de animação os dão vida.

O protagonista

Este protagonista é o personagem principal de uma história, show ou filme. Em muitos casos, esse personagem acaba sendo o herói. Geralmente é fácil identificar o protagonista porque o enredo gira em torno dele e de suas vidas, problemas e conflitos internos. Grosso modo, em grego, a palavra protagonista se traduz em “jogador da primeira parte” ou “ator principal”.

Por que um protagonista é tão importante? Eles nem sempre são os heróis; às vezes eles são apenas o ponto focal em um show ou até mesmo em um anúncio. Um protagonista normalmente está no “lado bom” e segue uma bússola moral que muitos consideram boa. É provável que o protagonista mude ao longo de uma história e essa ação expressa o tema de uma história que um estúdio de animação está tentando lançar. Um protagonista serve como uma porta de entrada para uma história emocional ou um coração emocional. Eles tendem a atrair um espectador ou leitor para a história. Os melhores protagonistas são personagens com os quais as pessoas podem se relacionar. Como espectador, você pode ter compartilhado esperanças, medos ou objetivos com um protagonista.

Quando olhamos para a animação e alguns dos protagonistas mais conhecidos, vemos personagens como Buzz e Woody ou Superman. Embora heróis aos nossos olhos, os protagonistas estão longe de ser perfeitos. Eles possuem algum tipo de falha, seja interna ou dentro de seu ambiente. O conflito que eles enfrentam então faz com que eles lutem ou recuem do grande obstáculo, e a maneira como eles escolhem reagir a uma situação é como escolhemos interpretar as qualidades do personagem.

O Antagonista

As formas clássicas de contar histórias apresentam um personagem principal conhecido como protagonista, que discutimos. Esse personagem normalmente entrará na história primeiro. Em seguida, entra o antagonista. Este personagem é tipicamente descrito como o “cara mau” ou o “vilão”. Os antagonistas são, sem dúvida, divertidos e trazem à tona um conflito moral, o que, como resultado, coloca nosso herói em uma bifurcação em uma estrada moral.

Esses personagens servem para ensinar aos espectadores o certo do errado. Esses personagens são um componente essencial para qualquer história por muitas razões. Eles são a oposição primária para um protagonista. Eles induzem o protagonista da história a mudar sua percepção e tentar viver em um mundo menos falho, não importa quem ou o que eles devem machucar para alcançá-lo.

Quando um antagonista ou vilão em qualquer história está personificando um conflito central, ele traz um elemento diferente para uma história que irá beneficiá-lo. A pressão que um antagonista exerce sobre o protagonista acaba gerando conflitos internos. Esses personagens normalmente testam a bússola moral e o compromisso de sua contraparte em ser moralmente justo.

O ajudante

O papel de um ajudante já foi referido como o “companheiro próximo”. Este papel remonta a mais de um século. Especificamente, temos nosso primeiro vislumbre literário de um ajudante em A Epopéia de Gilgamesh, que apresenta um ajudante-protagonista. O personagem principal busca não apenas amizade, mas também conselhos de Enkidu. Esse personagem definiu muitas das características consistentes e de qualidade que buscamos em um grande coadjuvante na produção de um filme, livro ou série de televisão e muito mais.

Gilgamesh foi indiscutivelmente o personagem principal. No entanto, o épico revela que o personagem secundário, Enkidu, desempenhou um papel menor, mas ainda significativo, na história. Quando Enkidu é morto, Gilgamesh responde agressivamente porque se aproximou de seu amigo e confidente. A profundidade da reação de Gilgamesh não apenas adiciona profundidade a ele como personagem, mas também permite que o público saiba o quão significativo era o vínculo entre o protagonista e o ajudante.

Outro tropo comum do ajudante é infundir a história com humor. Isto é especialmente verdadeiro para personagens animados. Onde estaria o Pernalonga sem o Patolino para detoná-lo? Alguns podem ver Patolino mais como um antagonista, mas ele não está realmente atrás de Pernalonga. Os dois personagens jogam um com o outro e adicionam muitas risadas ao longo do caminho.

Outros grandes companheiros no tempo incluem Dr. Watson e Sancho Pança. Esses ajudantes desempenham diferentes papéis e funções em apoio ao personagem principal que auxiliam ao longo de um enredo. Eles servem a um propósito maior do que simplesmente ser um companheiro ou assistente. Eles humanizam as características de um protagonista. Eles também são o personagem que move a história.

O Mentor

O mentor costuma ser uma grande ajuda para o protagonista em qualquer história. Eles os guardam ou protegem durante uma grande missão ou jornada que envolve tanto obstáculos fisicamente prejudiciais quanto obstáculos emocionalmente prejudiciais. Eles podem assumir muitas formas. Normalmente imaginamos um homem grisalho e idoso, mas às vezes o mentor pode assumir a forma mais desavisada.

Esses personagens geralmente fornecem suporte e guiam seu “aluno” para o caminho certo. Os mentores são conhecidos por terem altos padrões de moral e padrões que muitas vezes podem desafiar o aluno de quem estão cuidando. Eles sempre encontram uma maneira de inspirá-los e empurrá-los a aspirar por algo bom.

O interesse amoroso

Esse personagem pode muitas vezes ser negligenciado, mas também desempenha um papel muito importante em muitas histórias. Eles são a pessoa por quem o personagem principal se apaixona. Eles servem, como um catalisador na jornada que um protagonista deve percorrer. Dependendo do objetivo final do protagonista, a pessoa que é seu interesse amoroso pode ser de grande ajuda e motivação, assim como um mentor pode ser.

Então, da próxima vez que você estiver assistindo seus desenhos favoritos, preste muita atenção a mais do que a qualidade do design dos personagens. Olhe para os papéis que você acredita que cada personagem desempenha e sua contribuição significativa para uma linha de história. Você descobrirá que é difícil ter uma história convincente sem esses arquétipos básicos.



Source by Stephanie Delota

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *