A arte é necessária?

Sou artista de coração e contadora de profissão. Faço pinturas de colagem de papel e também gosto de pintar com acrílico sobre tela. Gosto particularmente de aprender novas técnicas e estilos de pintura.

No entanto, há algum tempo eu tenho sido atormentado pela pergunta “A arte é necessária?” Eu senti que talvez devesse usar meu tempo melhor. Faça algo realmente produtivo e que valha a pena. Faça algo que melhore o mundo, algo realmente útil e talvez para fazer a diferença. E também encontrar meu propósito. Sim, a pergunta perene – isso é tudo o que existe? De repente, fazer arte começou a parecer uma espécie de indulgência egoísta. Como se eu devesse ter utilizado meu tempo para fazer algo mais importante Então comecei a pensar se alguma arte era necessária.

Todos os dias eu leio o jornal da manhã. Li para me manter informado das novidades. A notícia é de crimes cometidos. De crimes horríveis contra mulheres e crianças pequenas. Da destruição causada por calamidades naturais. De pessoas que sofrem por falta de água ou muito dela. Do ar poluído e das mudanças climáticas. De plástico destruindo a vida marinha enquanto governos indiferentes arruínam o meio ambiente. Dos políticos corruptos destruindo o tecido social para ganho pessoal. Off Pessoas mal informadas conduzindo a economia para o chão. Pessoas erradas no comando dos negócios suprimindo e destruindo o bem. Faz-me pensar se alguma coisa vai ajudar a parar a podridão. Dificilmente me dá qualquer motivo para sorrir. Salve o pequeno desenho na última página, Calvin e Hobbes.

Então, embora eu tenha me sentido em grande parte como Nero tocando violino quando Roma estava queimando, de repente me peguei na última linha lá. O pequeno desenho animado Calvin and Hobbes parecia ser a única coisa que me aliviava da implacável depressão do jornal matutino. O pequeno tigre de pelúcia e as expressões muito fofas. O desenho animado habilmente desenhado com apenas 3 ou 4 painéis transmitindo uma ideia geralmente espirituosa. Atrair o leitor para a vida de uma criança, às vezes fazendo o leitor se perguntar para onde a história vai a seguir. Eu sempre sou compelido a ler este desenho animado. Mesmo nas manhãs em que estou atrasado, dou uma olhada rápida no desenho animado. Nas férias aproveito para sentar e me maravilhar com o talento do cartunista. Como o tigre de pelúcia parece tão vivo em um painel e como um brinquedo no outro. Obrigado Bill Watterson.

Então, o que é esse desenho animado senão arte, eu me perguntei? Isso me proporciona uma pausa momentânea das notícias deprimentes e do tédio do jornal diário. De certa forma, isso me enriquece ao me dar um vislumbre de algo fantástico. Então, isso não é tudo o que a arte deve fazer?

Em um mundo atormentado pela tristeza, talvez a arte seja como as nuvens se separando e deixando entrar um raio de sol. Isso não é importante? Sempre haverá morte e destruição e sangue e lágrimas. Sempre haverá más notícias e pessoas precisando de ajuda. Mas então a arte também deve existir. A arte proporciona uma espécie de alívio para a tristeza da vida de uma pessoa. Talvez seja também por isso que eles fizeram tanta arte nos séculos passados, quando a vida cotidiana era uma rotina e havia tantas doenças e sofrimentos de pragas e guerras. E hoje, quando olhamos obras de arte do passado, somos elevados e cheios de uma sensação de admiração, da grandeza de sua visão, da enormidade de seu talento e da permanência de suas obras.

Por isso a arte é necessária. Embora nem toda arte possa ser comparada aos grandes mestres, à sua maneira, cada obra de arte fala com alguém. Ele fornece aquele vislumbre de luz em um dia nublado. Ele eleva a alma de seu criador e faz o espectador considerar, mesmo que apenas por um momento, um vislumbre de um mundo diferente. E se for uma arte realmente boa, faz o espectador parar e talvez sorrir ou ficar impressionado.

Então a arte é necessária. Toda arte é necessária. Cheguei à conclusão de que era importante para mim continuar a fazer arte para mim e para o benefício dos outros.

A próxima pergunta que estou considerando agora é quanto tempo devo gastar na minha arte. Talvez eu me refira novamente a uma citação do pequeno Calvin: “Deus me colocou nesta terra para realizar um certo número de coisas. Agora estou tão atrasado que nunca vou morrer”.



Source by Vijaya Koteeswaran

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.